Reino Unido entra em interdição, mas metrô de Londres fica cheio

As ruas do Reino Unido estão muito mais tranquilas do que o normal nesta terça-feira (24) depois que o país entrou em uma interdição virtual para tentar deter a disseminação do coronavírus, mas os trens do metrô de Londres continuam cheios e as ruas estão longe de desertas.

Alguns trabalhadores também continuam a se manter próximos, mesmo depois de o primeiro-ministro, Boris Johnson, ter ordenado na segunda-feira (23) que as pessoas fiquem em casa. Ele também disse que a maioria das lojas precisa fechar e proibiu reuniões sociais.

As restrições, que são inéditas em tempos de paz e durarão ao menos três semanas, visam impedir que o Sistema Nacional de Saúde estatal (NHS) fique sobrecarregado depois que o número de mortes do coronavírus no Reino Unido subiu para 335.

Imagens de redes sociais mostraram trens do metrô de Londres repletos de viajantes, e uma grande rede varejista insinuou que quer se manter aberta. Também houve queixas de que os alertas são confusos ou não foram longe o suficiente.

Punições

“Espero que as pessoas sigam este conselho. Se, por algum motivo, não o fizerem, as penalidades estão aí”, disse o ministro do gabinete Michael Gove à BBC TV. “As pessoas precisam ficar em casa para se proteger, para proteger o Sistema Nacional de Saúde e para salvar vidas”, afirmou ele.

Segundo as restrições à circulação, as pessoas só devem sair de casa por motivos muito limitados, como ir a supermercados para obter suprimentos vitais ou para se exercitar uma vez por dia.

Conselhos anteriores para que os britânicos evitem aglomerações foram essencialmente ignorados – pessoas continuaram indo a parques e salões de beleza. Agora a polícia dispersará reuniões de mais de duas pessoas, e eventos sociais como casamentos, mas não funerais, serão impedidos.

Michael Gove disse que medidas mais rígidas do que multas de 30 libras esterlinas para pessoas que violarem as novas restrições podem ser adotadas.

“Se as pessoas de fato persistirem em se comportar de maneira antissocial, temos medidas mais fortes”, disse ele.

Uma pesquisa do instituto YouGov revelou que 93% dos britânicos apoiam as medidas, mas que há divisões quando se indaga se multas serão uma forma de dissuasão suficiente.A enquete ainda mostrou que 66% acreditam que as regras serão muito fáceis ou bastante fáceis de seguir.

 137 total views,  6 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *